Na tarde de ontem (07/06/2017), foi realizado um novo ato em frente à Prefeitura. A diretoria do Sinsej, Flávia Antunes, lembrou durante o ato que o único responsável pela greve dos trabalhadores é o prefeito. Flávia reforçou ainda a necessidade manter a unidade. “O movimento partiu de uma vontade coletiva, e somente isso poderá por fim à paralisação. Nosso foco agora deve ser mobilizar os companheiros que permanecem nos locais de trabalho para que a greve se fortaleça a cada dia”.

Audiência Pública
À noite, os servidores se dirigiram à Câmara de Vereadores na expectativa de que fosse realizada uma audiência pública para discutir a greve e buscar a abertura de diálogo com o governo. Contudo, o que aconteceu foi uma audiência sobre o Plano Plurianual (PPA).

Para Flávia, isso deixa claro que o “prefeito não está preocupado em abrir diálogo com a categoria para pôr fim à greve que acaba prejudicando toda a população”. Os trabalhadores seguem em busca da abertura de diálogo e um novo pedido de audiência será protocolado pelo Sinsej. – a expectativa é que na próxima terça-feira (13/6) seja realizada.

Os motivos da greve
Dos 18 pontos da pauta, somente a reposição da inflação e um reajuste de 10,12% no vale-alimentação foram concedidos. Não houve qualquer diálogo sobre as demais reivindicações, que incluem cláusulas sociais para a melhoria do serviço público e de condições de trabalho. De forma arbitrária, estas duas propostas foram enviadas para votação na Câmara de Vereadores. A organização dos servidores, no entanto, conseguiu paralisar a tramitação das matérias.

Entre os principais itens da pauta estão a aplicação do novo Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS); eleição para diretores das escolas; regulamentação da revisão salarial mensal (gatilho salarial), conforme acordado em 2016; apresentação de proposta para zerar, até o final do mandato da atual gestão municipal, perdas salariais históricas da categoria, que somam hoje 27,73%, e pagamento de adicional de insalubridade para ACSs, ACEs e recepcionistas das unidades de saúde.

Agenda de greve para 9/6

8h30 reunião do comando de greve.

14 horas – ato público em frente mercado Brasão – na Avenida André Rodrigues de Freitas – com panfletagem à comunidade e ao comércio. Em seguida, carreata até a frente da Prefeitura.

Fonte: Sinsej – Créditos fotos: Aline Seitenfus

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Notícias de Itapoá.